Rachel Sheherazade desce o “porrete” em Bolsonaro

Em função da greve dos caminhoneiros, Sheherazade publicou vídeo, no qual destaca prateleiras desguarnecidas, indústrias sem insumos e escassez de remédios. “Eu me pergunto: o que querem os caminhoneiros com esta greve absurda?” A paralisação, continua, é a “gênese de um novo modelo venezuelano de caos social”.

No banco do passageiro de um carro, Bolsonaro assiste no celular à retórica de Sheherazade. “Já fui um grande fã desta jornalista”, diz para em seguida lamentar suas observações. “Na própria página dela, tem 90% de negativações.” Refere-se à saraivada de polegares para baixo, sinal de reprovação virtual, que ela acumula num post no Facebook contrário à paralisação. O comentário mais curtido soma 14 mil apoios. “Tu não era assim. Te vendestes?????”

“Se desiludi Bolsonaro, fico até satisfeita, pois abomino seus posicionamentos desrespeitosos, machistas e intolerantes”, afirma Sheherazade. “Não reconheço nele um representante da direita, mas um conservador de conveniência, um pseudoliberal, amante saudoso da ditadura, que se locupletou desse capital ideológico para arregimentar um eleitorado desiludido com a esquerda e os partidos de centro.”