Jovens indígenas usam a internet para divulgação cultural e luta por direitos (Ouça o Áudio)

A internet tem se tornado um espaço cada vez mais utilizado por jovens indígenas para a divulgação cultural, combate a preconceitos e luta por direitos. Blogs, web rádios e sites são alguns dos diversos canais utilizados.

Este é ocaso de Cristian Wariu, do povo Xavante, de Mato Grosso. Estudante de Comunicação Organizacional na Universidade de Brasília, Cristian desmistifica muitas ideias racistas em relação aos diferentes povos indígenas brasileiros com seu canal no youtube “Wariu”.

Sonora: “Muitas pessoas acreditam que os indígenas ainda são muito vistos de forma colonial, ou seja, ‘Ah, o indígena tem que andar pelado’, ou  ‘têm indígenas canibais’, perguntas muito antigas que acabam perguntando pra mim, num contexto atual.”

Há cerca de cinco anos, uma rádio web indígena tem buscado mudar esse senso comum, ao mesmo tempo que busca diversificar as vozes nas notícias que dizem respeito a populações indígenas. É a Rádio Yandê. Anápuáka Muniz Tupinambá Hãhãhãe é formado em Gestão em Marketing e criador do conceito de etnomídia indígena brasileira. Como um dos fundadores da rádio Yandê, ele analisa o porquê do surgimento do canal.

Sonora: ”A necessidade da gente ter uma mídia própria veio pela própria ausência de espaço nas mídias não indígenas para os povos indígenas. Toda vez que se falava ou tinha uma questão sobre demarcação, questionamento sobre políticas públicas indígenas na área de saúde, educação, meio ambiente, a gente nunca tinha um espaço pra propor e pra poder falar e com liberdade na fala, sem ter nenhum tipo de censura na fala na edição.”

A rádio Yandê já é acessada em mais de 80 países e mais de 2 milhões de ouvintes. Já o canal do youtube Wariu foi um dos 16 selecionados em um programa do Ministério da Cultura para a juventude blogueira e já conta com quase 10 mil inscritos. Fonte: Rádio Nacional/EBC.

Escreva um comentário

Nenhum comentário

Ainda não há comentários!

Não há comentários, mas você pode ser primeiro a comentar este artigo.

Escreva um comentário
View comments

Escreva um comentário

Seu e-mail não será exibido.
Campos obrigatórios são marcados com*