Fiéis em todo o mundo celebram os 500 anos da Reforma Protestante (Vídeo)

Fiéis em todo o mundo celebram os 500 anos da Reforma Protestante, na cidade de Wittenberg, na Alemanha. Em 31 de outubro de 1517, o teólogo e monge católico Martinho Lutero publicou suas “95 teses”, com criticas à Igreja Católica, que marca o início do processo que levou protestantes a romperem com a Igreja Católica Romana.  

Um relatório de 2011 aponta que, levando em conta a definição mais ampla de protestantismo, existam cerca de 800 milhões de pessoas professam essa corrente religiosa em todo o mundo.

Um dos maiores legados da Reforma Protestante foi a abertura para a livre interpretação da Bíblia. Enquanto a Igreja Católica sustentava que só o clero — intermediário entre os homens e Deus , podia interpretar adequadamente a Bíblia, Lutero dizia que, para descobrir seu sentido, não era necessária a ajuda de padres. Segundo ele, em questões de fé, não havia diferença entre padres e leigos.

Todos podiam receber sua fé diretamente de Deus. A postura de Lutero abre espaço para um modelo de individualismo religioso que é uma das marcas da contemporaneidade.

Lutero questionava a ideia da venda de indulgências por implicar uma prática corrupta e também por considerá-la frágil do ponto de vista teológico.

Como a salvação poderia ser conseguida por meio de boas ações? No centro da argumentação de Lutero estava a convicção de que o homem alcançaria a salvação pela sua fé pessoal, marca de um senso de individualismo que se fazia presente na Europa naquele momento.

Afirmava que o comparecimento à igreja, o jejum, as peregrinações e a boas obras não assegurariam a salvação. As boas obras não seriam a causa da salvação, mas apenas seu resultado.